segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Foi só recordações que me ficaram

Foi só recordações, que me ficaram
Daquele tempo, quando queria amar
Esses sonhos, de ambição me marcaram
E vão resistindo, ao meu imaginar

Foram meus sentimentos, que falharam
Quando eu quis, o impossível alcançar
Foram só as ilusões, que me restaram
E não as voltarei mais, a recordar

Eu sou refém, desta minha ilusão
Contagiado, p`lo vírus de ambição
Proclamei meus jardins, sem ter flores

Na vida, não podemos esquecer
Que ela é curta de mais para aprender
Segredos, que envolvem os amores

AUTOR
MANUEL J CRISTINO

Nenhum comentário:

Postar um comentário